Idioma falado no mundo dos negócios, o inglês é determinante para o sucesso de uma empresa.

Em um contexto de crise econômica, ter esse pré-requisito preenchido é um verdadeiro diferencial competitivo. A dificuldade em encontrar profissionais qualificados, no entanto, tem levado muitas empresas a investir no aperfeiçoamento de sua equipe atual. Tal responsabilidade cai nas mãos do RH, que deve buscar treinamentos que sejam adequados para os funcionários e que ao mesmo tempo tragam o retorno desejado.

Apesar de esse não ser um fenômeno recente, muitas empresas ainda falham na criação de uma política de idiomas. Um dos erros mais recorrentes é apresentar o curso de inglês como um benefício equivalente ao plano de saúde ou ao vale refeição. Tal postura faz com que os funcionários não se sintam cobrados e consequentemente não se apliquem adequadamente às aulas. Para que o processo funcione é fundamental medir o desempenho de cada indivíduo e estabelecer regras quanto à participação nas aulas.

Mas, mesmo tomando essas medidas, existe o risco da empresa ter o seu investimento comprometido. De maneira geral, os profissionais de RH não possuem conhecimentos específicos sobre o processo de aprendizagem, o tempo necessário para ganhar fluência e os possíveis instrumentos de avaliação. Para maximizar os resultados, a solução é terceirizar o planejamento dos cursos de inglês com quem mais entende do assunto.

Em um primeiro momento, a alternativa mais adequada parece ser contratar uma escola de idiomas comum. No entanto, essas instituições operam com um produto pré-estabelecido e não customizado. A melhor saída são as consultorias, que trabalham com o desenvolvimento de políticas de idiomas adequadas a cada empresa. Há 30 anos no mercado corporativo, a UP Language oferece um serviço personalizado, que começa com uma minuciosa avaliação das demandas e da área de atuação da empresa.

Segundo o CEO Lúcio Sardinha, um dos principais cuidados da consultoria é criar um produto adequado ao budget que a empresa dispõe, “evitando o desperdício de dinheiro ou mesmo o equívoco do cliente comprar um curso que não serve para ele”. Daí em diante, a UP Language se responsabiliza pelo diagnóstico do nível linguístico dos funcionários, escolha da metodologia mais adequada, monitoramento da frequência dos alunos e aplicação de testes. Todo o acompanhamento serve para garantir que a equipe alcance o inglês que a empresa necessita.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *